Carta ao Pai Natal

QUERIDO PAI NATAL,

Desde pequenino que não te escrevo. Mas a ti devo alguns dos momentos mais doces da minha mais tenra infância. Sempre soubeste surpreender-me com os teus presentes: o triciclo, a bola, o carrinho, a pasta nova, a roupa nova, os chocolates… Lembras-te? Hoje sou mais crescido e, graças a ti e ao menino Jesus, tenho aquilo de que mais preciso: saúde, trabalho e harmonia familiar e social.

Desta feita não te peço nada para mim. Peço-te, apenas, umas coisitas para a freguesia de Grijó, tão rica do ponto de vista humano, mas tão carenciada em infra-estruturas que garantam a desejada qualidade de vida aos meus conterrâneos. Não te preocupes, Pai Natal, porque não te pedirei nada de mais. Sei que a actual conjuntura económica também te afecta, apesar da tua benevolência, sobretudo nesta quadra. Apresento-te, apenas, uma pequena lista de coisas que gostaria que nos oferecesses ao longo do ano 2009. Se não puderes oferecer tudo, compreendêmo-lo, mas faz o que puderes.

Gostaria que metesses na cabeça dos nossos governantes autárquicos que o lixo há muito depositado no “Aterro Sanitário de Sermonde” passasse a ser depositado noutro local. Por que não encaminhá-lo para a LIPOR? As populações circunvizinhas vivem mergulhadas em cheiros nauseabundos, que incomodam seriamente. Além disso, os camiões de transporte dos lixos são um grande incómodo. Por falar em lixo, por favor vê se podes ajudar na questão da poda das árvores da quinta do Mosteiro, que ameaçam quem passa na rua da Guarda.

Precisamos de mais e melhor habitação social, para alojar os grijoenses mais carenciados. Sem politiquice à mistura. Apenas por dedicação e zelo à causa pública.

Já agora, não podes dar uma ajuda a resolver definitivamente a situação das comunidades ciganas implantadas há anos na nossa freguesia? Só tu e o menino Jesus poderão resolver este problema, porque os homens que governam a nossa terra não estão interessados em fazê-lo. Sabes, Pai Natal, os ciganos e as ciganas também são gente e precisam, não apenas de rendimentos mínimos sociais, mas, igualmente, de ter trabalho para saberem o que custa a vida. Não arranjas ningém que abra as portas de uma empresa a alguns deles e algumas delas?

Depois das obras de “requalificação”, as ruas da Guarda e da Boavista até melhoraram, mas o que ali se fez não passa de um remedeio, sem uniformidade de critérios. Sabes onde é, não sabes, Paia Natal? São as duas ruas que se interligam e que canalizam o enorme tráfego entre a saída da auto-estrada, sentido Norte-Sul, e principais destinos como o centro de Grijó; santa Maria da Feira e pai-natalEspinho. Apesar do novo piso, continuam esburacadas e cheias de obstáculos. Em vários locais do seu percurso não têm passeios para peões, às vezes, se existem, são demasiado estreitos para neles se circular, as rampas são completamente disformes, etc. Foi a Câmara que nos deu este “presente”, mas não houve a devida fiscalização por parte da autoridade local.

Já agora, não podes resolver definitivamente o problema do Pavilhão Desportivo? Como sabes, foi construído em terreno da freguesia, mas para ali jogar temos que pagar. A nossa junta de freguesia e a sua falsa “oposição”nada reclamam a este propósito, porque neste momento pré-eleitoral, há muitos interesses e objectivos pessoais a defender e não interessa aborrecer a Câmara Municipal. Querem andar todos de mãos dadas. Mas, acredita, de certeza que não é por casa do espírito natalício. É mais por causa da mesquinha promiscuidade política.

Já que estamos nisto, peço-te que apoies as colectividades de Grijó. Todas, sem excepção e sem o tratamento desigual que lhe têm dado. Sei que algumas delas não precisam de esmolas. Precisam apenas de incentivo e carinho, que se reconheça a relevância do seu papel social, cultural, artístico e desportivo. Precisam, sobretudo, que não as desajudem nem lhes mintam. Elas são a alma da freguesia, o espaço físico, social e afectivo onde se partilham e constroem muitas vidas.

Se puderes, ajuda à construção do tão aguardado lar para a terceira e a quarta idades. O Sr. Padre tem lutado sozinho por esta construção, contra muitas adversidades, não apenas económicas. Ele já deu provas de ser zeloso e se preocupar mesmo com o bem comum. Olha o trabalho que tem desenvolvido o Centro Social da Paróquia, uma referência fundamental na vida de muitas famílias da nossa histórica Vila.

Se puderes fazer alguma coisa pela nossa pobre unidade de saúde, também agradeço. O espaço e os serviços ali prestados, apesar do esforço e da entrega dos seus agentes, mais parece do terceiro mundo, não de uma Europa do século XXI.

Querido Pai Natal, sei que a lista já vai longa. Vou ficar por aqui. Como te disse atrás, não te peço que, em 2009, faças tudo. Apenas aquilo que puderes. Se não fores tu, Pai Natal, não sei o que há-de ser de nós. Repara que, em quase duas décadas, pouco ou nada se fez na nossa freguesia: um pavilhão que não é nosso, uns pequenos arranjos num dos principais acessos ao centro da freguesia e o prometido complexo desportivo. Já com barbas maiores que as tuas. Ouvi dizer que esta promessa vai ser realizada dentro em breve. É capaz de ser verdade. Sabes porquê, Pai Natal, porque para o ano há eleiçoes e nestas alturas os grandes e poderosos costumam distribuir uns presentinhos pelos mais pequenos. Causa-me alguma impressão que os dinheiros sejam públicos, mas quase sempre ao serviço de interesses pessoais e tão mal distribuídos.

Ah! Já me esquecia. Já agora, não te esqueças que o ano 2009 vai ser um ano de profundas transformações político-sociais em Grijó. Por isso, vai torcendo por mim e por todos os homens e mulheres que se vão esforçando por, de forma livre e saudável, “Devolver Grijó aos Grijoenses”, por construir uma freguesia mais coesa e mais humanizada. Por isso, peço-te que inspires os nossos governantes gaienses a serem mais justos, a não tratarem de forma desigual as pessoas, em função da sua cor partidária ou do seu estatuto social.

Em nome dos homens e mulheres de bem da minha freguesia, aceita os meus melhores cumprimentos. Desejo-te um Santo Natal e um Próspero Ano 2009, extensivo a toda a família.

Publicado no Jornal Audiência de 17/12/2008

0 Responses to “Carta ao Pai Natal”



  1. Deixe um Comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




Calendário

Dezembro 2008
S M T W T F S
« Nov   Jan »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Arquivos

Estatísticas do Blog

  • 32,325 visitas

%d bloggers like this: